conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

Livros

O Abolicionismo (Joaquim Nabuco) | Resenha

O Abolicionismo é um livro muito objetivo, muito detalhista e que diz com clareza o que procuramos de respostas sobre o movimento. 

O Abolicionismo
Imagem: Matheus Araújo, 2022

O livro O Abolicionismo, de Joaquim Nabuco, foi concluído em 1883, já durante a vigência de várias leis que deveriam restringir a escravidão no território nacional, mas ainda cinco anos antes da abolição total da escravatura. Faz parte, portanto, da campanha pela abolição, da qual Nabuco foi, por décadas, talvez a principal voz branca, e é de valor inestimável para se entender o longo processo histórico, econômico e político que enfim levaria ao fim da escravidão, bem como as resistências e os interesses que estavam em jogo na segunda metade do século XIX.

Joaquim Nabuco deixa claro nesse livro a importância da liberdade do indivíduo com a qual a escravidão tomou posse, e ressalta a ineficiência da Igreja Católica para combater a escravidão, fazendo nada para impedir os diversos leilões de escravos que aconteciam em território nacional, nem o regime religioso nas senzalas, mesmo tendo todo o imenso poderio em um país ainda em grande parte fanatizado por ela. O Abolicionismo relata em detalhes o fim da escravidão na Inglaterra e nos Estados Unidos da América, nele é notório o desejo de Joaquim Nabuco em reconstruir o Brasil sobre o trabalho livre e a união das raças na liberdade.

Leia também: O Reino Que Não Era Deste Mundo (Marcos Costa) | Resenha

A importância da raça negra na construção do Brasil foi absurda e isso é claro em O Abolicionismo, podemos ver como os Correios, Hospitais, Casa dos Senhores, Igrejas e Escolas dependeram da raça negra para existirem. Nabuco reforça muito a ideia de que o movimento abolicionista não apoiava uma guerra civil para tais mudanças, como ocorreu nos EUA. E algo citado por Nabuco nesse livro é a libertação dos escravos do Paraguai pelo Conde d’Eu no final da Guerra do Paraguai e reforça a ideia de que a família imperial era totalmente contrária a escravidão, deixando claro no momento em que ele cita o Dom Pedro II, dizendo que se dependesse dele a escravidão acabaria muito tempo antes.

O Abolicionismo

Imagem: Matheus Araújo, 2022

Joaquim Nabuco diz no livro ser um liberal, porém, vejo muitos conservadores com canais no YouTube, blogs e páginas nas redes sociais dizerem que ele era um conservador, mas isso não passa de uma falácia. Eu prefiro acreditar no que o Joaquim Nabuco escreveu do que acreditar no que terceiros falam, e recomendo o livro do Joaquim Nabuco chamado Minha Formação, nele fica mais claro a posição liberal de Joaquim Nabuco.

No livro O Abolicionismo, fica claro o incomodo de Joaquim Nabuco com a emancipação gradual, mas ele pede para os escravos confiarem no processo e diz que poderia dar frutos no futuro.

O Abolicionismo

Imagem: Matheus Araújo, 2022

O Abolicionismo é um livro com leitura lenta por conta de um português mais robusto e que por conta disso pode necessitar repetições, mas é um livro recomendado para quem deseja entender mais sobre a abolição da escravidão, da identidade nacional e, claro, da mente magnífica que tinha Joaquim Nabuco. É um livro muito objetivo, muito detalhista e que diz com clareza o que procuramos de respostas sobre o movimento.

Eduquem os seus filhos, eduquem-se a si mesmos, no amor da liberdade alheia, único meio de não ser a sua própria liberdade uma doação gratuita do Destino, e de adquirirem a consciência do que ela vale, e coragem para defendê-la. – Joaquim Nabuco

TÍTULO: O ABOLICIONISMO

AUTOR: JOAQUIM NABUCO

EDITORA: SciELO – CENTRO EDELSTEIN

ANO: 2011

PÁGINAS: 200

Gostou da resenha? Deixe o seu comentário e me siga nas redes sociais!

Nota
  • História
  • Leitura
  • Ilustração
  • Tipografia
  • Diagramação
4

Conclusão

O Abolicionismo é um livro com leitura lenta por conta de um português mais robusto e que por conta disso pode necessitar repetições, mas é um livro recomendado para quem deseja entender mais sobre a abolição da escravidão, da identidade nacional e, claro, da mente magnífica que tinha Joaquim Nabuco. É um livro muito objetivo, muito detalhista e que diz com clareza o que procuramos de respostas sobre o movimento.

Nota
  • História
  • Leitura
  • Ilustração
  • Tipografia
  • Diagramação
4

Conclusão

O Abolicionismo é um livro com leitura lenta por conta de um português mais robusto e que por conta disso pode necessitar repetições, mas é um livro recomendado para quem deseja entender mais sobre a abolição da escravidão, da identidade nacional e, claro, da mente magnífica que tinha Joaquim Nabuco. É um livro muito objetivo, muito detalhista e que diz com clareza o que procuramos de respostas sobre o movimento.

Escrito por

Olá, eu sou o Matheus. Atualmente estou graduando em Publicidade e Propaganda, atuando como CEO e Diretor de Criação na Araujo Media, Gerente Comercial da TFX LATAM e sou o Idealizador do portal Brazilian History.

Comentários
Espaço Publicitário
Espaço Publicitário

Você também pode gostar desses artigos

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban – Muitas respostas, mas não o suficiente ResenhaHarry Potter e o Prisioneiro de Azkaban – Muitas respostas, mas não o suficiente Resenha

Livros

Confira a minha resenha de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

Harry Potter e a Câmara Secreta - Um livro com diversas reviravoltas ResenhaHarry Potter e a Câmara Secreta - Um livro com diversas reviravoltas Resenha

Livros

Harry Potter e a Câmara Secreta é o segundo livro da famosa série escrita pela autora britânica J.K. Rowling.

Harry Potter e a Pedra Filosofal - Um jovem garoto em um mundo admirável ResenhaHarry Potter e a Pedra Filosofal - Um jovem garoto em um mundo admirável Resenha

Livros

Harry Potter e a Pedra Filosofal é o primeiro livro da famosa série escrita pela autora britânica J.K. Rowling.

As Crônicas de Nárnia A Última Batalha – Um final majestoso ResenhaAs Crônicas de Nárnia A Última Batalha – Um final majestoso Resenha

Livros

O autor consegue pegar o tema de apocalipse bíblico e incorporar no mundo narniano de forma majestosa.